“Onde? Como? Quando? Quem? Por quê?”

A data

O dia 25 de dezembro já é comemorado a milhares de anos, cerca de 7mil anos antes do nascimento de Cristo os romanos comemoravam a data. Mas como era possível comemorar o nascimento de Cristo sem nem ao menos ele ter nascido? Bem, a comemoração dos romanos era referente ao solstício de inverno e o nascimento do sol após a noite mais longa do ano, ao qual teremos um artigo publicado em breve.

Na China, por exemplo, a data até os dias atuais é para prestigiar Yin e Yang. Mas e o Natal?

Então, é Natal…

A religião Cristã começou a ganhar força e adeptos, em todos os lugares do mundo e principalmente em Roma, porém havia um problema, apenas as datas da morte e da ressurreição de Cristo eram conhecidas. Foi quando, em 221 d.C., o historiador Sextus Julius Africanus decidiu, com base na pertinência, que Cristo nasceu no dia 25 de dezembro.

Desde então a data ganhou formas e vem sendo comemorada em todos os cantos do mundo. Mas e o Papai Noel?

O bom velhinho foi inspirado em outro bom velhinho, o Bispo Nicolau o qual ajudava aos mais necessitados deixando presentes e moedas ao lado das chaminés de suas casas. Milagres foram atribuídos ao Bispo que se tornou São Nicolau.

Seus trajes eram escuros e típicos de inverno, por isso a roupa do Papai Noel de hoje parece ter sido inspirada no polo norte, mesmo.

Os costumes

As comemorações de Natal são rodeadas de costumes e de símbolos.

E então, que tal falarmos um pouco sobre os principais?

  • A ceia – A ceia de Natal tem duas origens, a festa nórdica e outra origem é da Wicca chamada Yule, solstício de inverno, onde se tinha o costume de abrir suas portas aos viajantes. É o momento de reunir à mesa as pessoas mais importantes, sejam familiares ou amigos, e degustar uma farta refeição.
  • A árvore – Sejam árvores artificiais ou verdadeiras, ter em casa uma árvore decorada com luzes, deixa o Natal mais harmônico e, convenhamos, Natal sem árvore não é Natal. A árvore de Natal também tem sua origem no Yule, solstício de inverno.
  • Os presentes – Faz parte dos costumes a troca de presentes entre amigos e familiares, deixar presentes às crianças e atribuí-los ao Papai Noel representa muito da magia do Natal, inclusive um hábito comum é o amigo secreto.
  • O presépio – Consiste em montar um cenário representando o nascimento de Jesus, o pioneiro foi São Francisco de Assis.
  • A estrela de Belém – é a representatividade da estrela que conduziu os três Reis Magos ao local de nascimento de Jesus, agora a mesma é colocada como enfeite no topo da árvore natalina.

A essência

Existe algo que é semelhante em todo o mundo, a essência do Natal, época de reunir as pessoas que são importantes e aproveitá-las ao máximo. Época de renovação, de fé e esperança, de esquecer dos problemas e pensar nas oportunidades, de homenagear Jesus. O Natal é comunhão, é magia, a possibilidade de fazer alguém feliz, de presentear uma criança e ver seus olhos brilharem, isso sim é magico.

Nós do Instituto Terceira Visão desejamos a você, o melhor Natal de todos, e somos gratos de coração por nos permitir fazer parte da sua caminhada. Estaremos sempre ao seu lado. Gratidão!!

capa-terapias-holisticas

Baixe Agora Nosso EBOOK Gratuito:

"Tudo sobre as Terapias Holísticas"



You have Successfully Subscribed!